Atualizando informações ...

Por vezes a cada dia

Modelo: Cíntia Moscovich
Disponibilidade: Disponível em 2 dias úteis

Por:
R$ 45,00

ou 6x de R$ 7,50 Sem juros Cartão MasterCard
ou 6x de R$ 7,50 Sem juros Cartão Visa
Produto com desconto progressivo
Somente o maior desconto será aplicado na finalização do pedido.
  • Frete Grátis - 15 a 20 dias
Estoque insuficiente
* Aqui sua compra é 100% segura, compre com tranquilidade.
Simulador de Frete
- Calcular frete
Frete e prazo de entrega
Sobre o Livro
Beatriz Vila Verde, autora que abre o volume, é uma escritora doce e que aposta em narradores variados. Clodoveu Machado prefere os narradores jovens, por vezes muito jovens, escrita que parece se destinar ao público que recém estreia na vida. Jorge Meinhardt dedica-se ao fabuloso e sobrenatural (que existe por vezes em cada dia), explorando o misticismo de raiz muçulmana e toda a estranheza a ele inerente. Marta Dias Lopes abre a seção que lhe cabe contando a história de uma árvore abatida e que, com a força vital, ressurge, senha do que parece seguir dali por diante. Ronaldo Lucena é hábil na condução de suas histórias e, sugestivo, abre com um conto em que as rememorações infantis se fazem presentes — ainda que de forma dolorida. Sulanita Santos Rosário fecha o conjunto de trabalhos dos alunos com três textos sensíveis sobre as misérias que podem sacudir as pessoas, iniciando pela história daquele menino a quem o mundo não consegue acolher. Cada um de seu jeito, cada qual explorando seus interesses, os autores que aqui estreiam revelam-se para o mundo em seu melhor: como grupo, como indivíduos e como escritores.”
Sobre o Autor Sobre a Editora Características

Beatriz Vila Verde, autora que abre o volume, é uma escritora doce e que aposta em narradores variados.
Clodoveu Machado prefere os narradores jovens, por vezes muito jovens, escrita que parece se destinar ao público que recém estreia na vida.
Jorge Meinhardt dedica-se ao fabuloso e sobrenatural (que existe por vezes em cada dia), explorando o misticismo de raiz
muçulmana e toda a estranheza a ele inerente.
Marta Dias Lopes abre a seção que lhe cabe contando a história de uma árvore abatida e que, com a força vital, ressurge, senha do que parece seguir dali por diante.
Ronaldo Lucena é hábil na condução de suas histórias e, sugestivo, abre com um conto em que as rememorações infantis se fazem presentes — ainda que de forma dolorida.
Sulanita Santos Rosário fecha o conjunto de trabalhos dos alunos com três textos sensíveis sobre as misérias que podem sacudir as pessoas, iniciando pela história daquele menino a quem o mundo não consegue acolher.
Cada um de seu jeito, cada qual explorando seus interesses, os autores que aqui estreiam revelam-se para o mundo em seu melhor: como grupo, como indivíduos e como escritores.”

Meu Carrinho

Continuar Comprando